2 de outubro de 2010

Confissão



Há pessoas e/ou situações que nos marcam de uma forma tão profunda, fixando-se na gente mais ou menos como cicatrizes. Podem se passar anos a se perder as contas e estes ainda não serão suficientes para apagar memórias, sentimentos, rostos... Será?! Bem, essa é a impressão atual.

E basta querer evitar pensar no assunto para ele me impregnar toda. 

Uma praga.

Eu olho e vejo em toda a parte aquilo que eu não quero e não preciso mais lembrar.

Eu fico só imaginando uma forma de fugir, de me esconder, de esquecer, enfim.

Sem sucesso.

E isso porque dizem que o tempo é o melhor remédio. Mas sabe o que eu acho? Que toda vez que tomamos o remédio, lembramos o porquê de estarmos doentes. 

Um fracasso, eu confesso.

4 comentários:

Tatiana M. Leal disse...

Ai... Você não tem idéia do quanto me doeu ler esse post! A tal "arte do desapegar" pra mim é uma lenda... Mas ainda tenho fé que vou me "libertar" de certas pessoas. Difícil mandar no coração, né? :(

Tudo sobre música!! disse...

Mais um texto seu, q gostei de ler.
Parabéns!!

Nem sempre o tempo é o melhor remédio. Para certas pessoas ou situações, quanto mais o tempo passa, mais a gente lembra!!

Bem, isso talvez resuma o que vc quis dizer:
"Mas não tem como evitar. Todo esse tempo longe só me fez te querer mais..."
(Lucas Silveira)

Bjs,
@Celle_Nikiti

C. disse...

Viver sem saber o q sentimos!
Talvez o segredo esteja aí. Basta sentir, sem dar definições ou sentidos. E vai que seja isso.

Bbel disse...

Pois é, dizem muitas coisas sobre o tempo... E está mais do que na hora de se comprovar a fidedignidade de algumas delas.